Tags

, , , ,

Não bastasse o verdadeiro imbróglio entre o Prêmio Jabuti, o “Jurado C” – na verdade Rodrigo Gurgel – e o maringaense Oscar Nakasato, agora é a vez da Fundação Biblioteca Nacional (FBN) criar confusão. Poesia 1930-62 (Cosac Naify, 1.056 páginas), de Drummond, morto em 1987, com organização de Júlio Castañon Guimarães, foi anunciado vencedor do Prêmio de Poesia Alphonsus de Guimaraens. Entretanto, a instituição resolveu mudar sua decisão.

Após ser pressionada pela crítica e por outras editoras, a FBN deve entregar o prêmio a outro escolhido, que ainda não teve o nome relevado. Isso se deveu ao descumprimento de uma das regras do concurso que afirma que o autor da obra deve estar vivo ou a editora recebs – por escrito – autorização do autor para que ela possa concorrer. Bernardo Ajzenberg, diretor da Cosac Naify, que é detentor dos direitos autorais, aparecia com vencedor.

Essa situação, um tanto embaraçosa, coloca, outra vez, em pauta a vulnerabilidade das premiações brasileiras que, ao invés de atrair notoriedade aos seus autores, demonstra a falta de preparo e organização.

Anúncios